Image by Matt Hardy

Marés Extremas

Atualizado: Jun 2

As marés são a subida e descida cíclica do nível do mar. O quanto a maré sobe e desce é chamado de amplitude de maré (diferença entre a maré baixa e a maré alta). Essa amplitude varia ao redor do mundo e em alguns lugares do mundo a maré pode subir mais alto do que um prédio de três andares! [saiba mais sobre as marés]


Qual é a maior maré do mundo?

A maior amplitude de maré do mundo ocorre na Baía de Fundy, localizada na costa atlântica do Canadá, onde já foi registrada uma maré alta de 16,1 metros!! Outros lugares com marés extremas que excedem regularmente 10 metros de amplitude são em ordem decrescente:


1) Baía de Bristol, no sudoeste da Inglaterra,

2) Baía de Ungava, no noroeste do Canadá,

3) Baía de Mont-Saint-Michel, no noroeste da França,

4) Estreito de Magalhães, na Patagônia, e

5) Enseada de Cook, no Alaska.


Por que ocorrem essas marés extremas?


Vimos que as marés são geradas por forças de atração entre o Sol, a Lua e a Terra. Também vimos que elas variam de acordo com o movimento dos astros e de outros fenômenos como as condições atmosféricas, que geram as maré meteorológicas e ressacas marinhas.


Somado a isso, o formato do litoral desempenha um papel importante na amplificação da maré, o que gera as marés extremas.


Percebeu que as maiores marés do mundo ocorrem em baías e enseadas?


Regiões confinadas concentram a energia da maré, amplificando a variação das marés astronômicas. Isso ocorre principalmente em canais longos e afunilados, nos quais a largura do canal diminui continuamente continente adentro.


No Brasil, as marés mais altas são encontradas na Baía de São Marcos, localizada no Maranhão, onde a variação de altura da maré pode chegar a 8 metros, o que já é bastante! Mas a altura das marés o litoral no Brasil varia bastante de norte a sul. [saiba mais]


Baixe nosso pôster sobre as marés <clicando aqui!>



Escrito por Mariana Thévenin⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Fonte:

Archer, A.W., and Hubbard, M.S., 2003, Highest tides of the world, in Chan, M.A., and Archer, A.W., eds., Extreme depositional environments: Mega end members in geologic time: Boulder, Colorado, Geological Society of America Special Paper 370, p. 151–173.


Foto:

José Duarte

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

.mais vistos.