Image by Matt Hardy

Por que o mar é salgado?

Atualizado: Jan 5


Mar Salgado

Todo o oceano contém cerca de 5,5 trilhões de toneladas de sal! Se toda a água do mar secasse, sobraria uma camada de sal de 45 metros de altura.

O sal do mar não é só sal de cozinha

A salinidade é quantidade total de sólidos inorgânicos dissolvidos na água.


Cerca de 85% dos sais dissolvidos na água do mar são de cloreto de sódio (NaCl), o famoso sal de cozinha, mas os outros 14% são de outros sais como sulfato, magnésio, cálcio, potássio e bicarbonato, e mais 1% de uma infinidade de outros sais.


O oceano é uma “sopa” de todos os elementos presentes na crosta terrestre e na atmosfera, mesmo que em quantidades bem pequenas.

De onde vem o sal do mar?

A origem desses sais é a erosão e dissolução das rochas terrestres e seu transporte pelos rios até o oceano, ao longo de milhões de anos. Reações químicas com o fundo do oceano, processos vulcânicos existentes no fundo marinho e, em menor escala, o aporte de material de origem vulcânica ou mesmo de meteoros, através da atmosfera também contribuem.


Por isso, embora as águas dos rios não contenham tanto sal como a água do mar, ao longo de milhões de anos o sal transportado pelos rios se acumula no oceano, enquanto a água do mar evapora, resultando numa concentração bem mais alta de sais.

Mas porque o oceano não fica cada vez mais e mais salgado?

O aporte de sal, via rios, interação com o fundo ou vulcanismo, são balanceadas pela perda desses elementos nos sedimentos do fundo marinho ou na formação de esqueletos e carapaças de organismos marinhos. Dessa forma, a interação desses sais em vários processos químicos e biológicos originam um estado de equilíbrio químico do meio marinho, no qual nem as proporções nem as quantidades da maioria das substâncias dissolvidas variam significativamente com o tempo.

Escrito por Mariana Thévenin⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀



Fonte:

°° Wilson Teixeira, Fabio Taioli, Thomas Fairchild, Cristina Toledo (2009) Decifrando a Terra. Companhia Editora Nacional.

°° Garrison, T. (2010). Fundamentos de Oceanografia. Tradução da quarta edição norte-americana. São Paulo: Cengage Lerning.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

.mais vistos.